Exemplo prático de cálculo do imposto na substituição tributária

Como característica do Regime de Substituição Tributária do ICMS (ICMS – ST), o imposto é acrescentado ao preço final da mercadoria, sendo, portanto, um “Imposto por fora” (ou seja, o imposto não comporá a sua própria base de cálculo que, no caso, seria um cálculo de “Imposto por dentro” do próprio preço cobrado).

1 – A Lei Complementar nº 87/1996, ao tratar do regime de sujeição passiva por substituição tributária, determina que a base de cálculo em relação às operações subsequentes, será obtida pela somatória das parcelas seguintes:

a) O valor da operação ou prestação própria realizada pelo substituto tributário;

b) O montante dos valores de seguro, de frete e de outros encargos cobrados ou transferíveis aos adquirentes ou tomadores de serviços

c) A margem de valor agregado, inclusive lucro, relativa às operações ou prestações subsequentes;

2 – Já para os casos de mercadorias ou serviços cujo preço final ao consumidor, único ou máximo, seja fixado por órgão público competente, a base de cálculo do imposto, para fins de substituição tributária, é o referido preço por ele estabelecido (Chamada de pauta fiscal).

Assim, em resumo, chegamos às seguintes fórmulas aritméticas (Caso 1 acima):

ICMS-ST = (Base de Cálculo ST x Alíquota) – ICMS da Operação Própria

Onde:

Base de Cálculo ST = (Valor Mercadoria + Frete + IPI + Outras Despesas + Margem de Lucro);

ICMS da Operação Própria = Base de Cálculo da Operação Própria x Alíquota;

ICMS Presumido = Base de Cálculo ST x Alíquota

Exemplificação do cálculo

Podemos considerar, para fins de exemplificação, uma operação realizada por um fabricante de tintas estabelecido no Estado de São Paulo com destino a estabelecimento varejista também localizado no Estado de São Paulo, cujo valor de venda, com a inclusão de todos os valores debitados ao varejista, tais como frete, juros e outros, é de R$ 2.100,00 e com IPI calculado à alíquota de 5%, conforme a Tabela de IPI (Tipi), teremos:

ICMS da Operação Própria:

R$ 2.100,00 x 18% (alíquota interna para mercadoria) = R$ 378,00

Base de Cálculo do ICMS – Substituição (ICMS – ST):

R$ 2.100,00 + R$ 105,00 (IPI) + 35% (margem de lucro fixada pelo Convênio específico) = R$ 2.976,75

ICMS Presumido (ICMS – ST):

R$ 2.976,75 x 18% (alíquota interna para mercadoria) = R$ 535,82

ICMS retido:

R$ 535,82 (ICMS presumido) – R$ 378,00 (ICMS da operação própria) = R$ 157,82

O ICMS – Substituição (ICMS – ST), também denominado imposto retido, ao contrário do ICMS normal, que se encontra embutido no preço, será cobrável “por fora” do destinatário, como permitem os Convênios e Protocolos específicos.

Precisa de ajuda com ICMS ST? Conheça agora nossa Solução Fiscal Tax Manager! Clique aqui para falar com um de nossos consultores

Quer saber mais sobre nossa Solução Fiscal Tax Manager! Clique aqui.

 

Fonte: Livro – Substituição Tributária no ICMS – Aspectos Jurídicos e Práticos – IOB

Paulo Antonio Mariano/Raphael Werneck/Sandra Regina Alencar Bezerra

 

Comentários

Equipe TSCTI - Soluções Fiscais

Equipe de profissionais qualificados, certificados e capacitados nas principais metodologias de mercado com mais de 100 mil horas em projetos fiscais por todo o território nacional